Curso de Iridologia EAD


 

 

uni-iridologia;curso-de-iridologia-profissional,união-nacional-dos-iridologos



 A IRIDOLOGIA TRANSFORMANDO VIDAS!

  


 
CONTEÚDO DO CURSO

 

01-IRIDOLOGIA. (estudos dos fenômenos fenotípicos e genotípicos visualizados no tecido da íris dos olhos correlacionados com o estado de saúde orgânica).

02-PUPILOLOGIA. (estudos dos fenômenos visualizados na pupila correlacionados com a energia vital do sistema nervoso simpático e parassimpático).

03-ESCLEROLOGIA. (estudos dos fenômenos visualizados na esclerótica ou conjuntiva do olho).

04-PSICOIRIDOLOGIA RAYID. (estudos do fenômenos visualizados no tecido da íris correlacionados com as reações emocionais do indivíduo).

EAD - Sistema de ensino remoto com apostilas ricamente ilustradas em cores facilitando a entendimento do conteúdo aplicado.

Suporte tira-dúvidas - Vídeo aulas complementando as orientações na aprendizagem  e com suporte de tira dúvidas através do App Telegram.

Versatilidade -Você estuda ao seu tempo e em qualquer lugar!

 
SOBRE A IRIDOLOGIA




O Olho desde os tempos imemoriais...

“.... Ora, não percebeis que com os olhos alcançais toda a beleza do mundo? O olho é o senhor da astronomia e o autor da cosmografia; ele desvenda e corrige toda a arte da humanidade; conduz os homens às partes mais distantes do mundo; é o príncipe da matemática, e as ciências que o têm por fundamento são perfeitamente corretas. ” Leonardo da Vinci 1452-1519

 

"A Iridologia é a primeira forma de rastreio para ser usado na realização de um balanço completo orgânico individual (cada um ser humano possui duas íris na qual com suas próprias características são identificadas serem genotípicas ou fenotípicas bem como suas influências quânticas)." Manassés R. de Almeida"


Prologo...



Mais do que isso, eles podem ser o espelho do corpo e desvendar seus desequilíbrios. Os primeiros sinais de desenvolvimento do corpo aparecem na íris do olho do embrião após 18 dias da sua fecundação. Sendo o olho uma extensão do cérebro, ou melhor, um cérebro externo, este registra tudo o que acontece no organismo a partir do momento que ele é formado. Esse microssistema do organismo só deixa de registrar nos genes e tecido da íris, os sinais de disfunções orgânicas, vícios, maus hábitos, disfunções e desequilíbrios orgânicos duas horas após a morte do indivíduo.



Uma ciência da observação da Íris...



A iridologia tem uma longa história, feita de observações: o homem daqueles tempos remotos olhou os olhos para conhecer o estado de saúde de seus companheiros. A iridologia é, portanto, uma ciência da observação, uma leitura, um exame da linguagem da íris que define a qualidade do corpo humano.



O verdadeiro iniciador da iridologia visto desde um ângulo mais científico é o médico húngaro Ignatz von Peczely (1800-1888) Apresentou sua tese iridológica no ano de quando iniciou sua graduação em Medicina no ano de 1822 e a iridologia começou a ser estudada pelos métodos científicos até o ano de 1911 na escola de medicina de Dresden - Alemanha.

Ignatz von Peczelly sempre esteve interessado no que o olho pode revelar sobre a saúde de aves, animais e humanos. Ele escreveu: " o olho não é apenas o espelho da alma (comportamento humano), mas também o espelho do corpo ". Ele é reconhecido como o pai da iridologia profissional. Ele foi o primeiro que colocou os alicerces científicos da iridologia, ele modificou a concepção tradicional, isto é, a localização dos órgãos do corpo correspondentes à posição fetal do homem.

Instilou a projeção do corpo do homem separado em blocos assim como na ciência da anatomia demarcado na íris. O mapa da sua topografia da íris em 1886 foi uma novidade e serviu de base para os iridologistas que o sucederam.



A iridologia, muitas vezes condenada pela " Ortodoxia Médica Ocidental " é de extrema utilidade para o médico iridologista, pois este método permite a visualização do estado de todo o corpo e fornece informação de perfil vital antes que a doença apareça. Portanto, um método baseado na ciência da observação, sendo uma ferramenta excelente para ajudar a detectar e / ou prevenir uma grande quantidade de desequilíbrios no corpo.



Uma pesquisa na literatura irlandesa mostra que a história da iridologia remonta a tempos muito remotos: há cerca de 8000 anos a.C, em primeiro lugar na região mediterrânea na Mesopotâmia (caldeus, hebreus, egípcios), em segundo lugar, a Europa. É a experiência de vários profissionais que contribuiu para o desenvolvimento deste método de diagnóstico, a Iridologia! A iridologia tem uma longa história, feita de observações: o homem daqueles tempos remotos olhou os olhos para conhecer o estado de saúde de seus companheiros.



Uma íris, três fases embrionárias...



Além disso, o tecido iridiano é formado na fase embrionária, como um feto. Na barriga de nossa mãe, no momento da nossa concepção, foram formadas três fases embrionárias que deram um conjunto de órgãos (o primeiro deles o OLHO) e funções orgânicas.

 

É essa memória fisiológica das três fases teciduais que explica que este pequeno disco iridiano é a parte visível do sistema nervoso central em sua parte do tecido ciliar e nos mostram sobre a qualidade dos tecidos de todas as partes do corpo humano.

 

Pesquisas realizadas por cientistas irlandeses vêm nos dar elementos muito precisos. Um ponto, uma lesão e suas várias características próprias, indicarão com precisão um melhor ato terapêutico levando alívio ao paciente e ao mesmo tempo explicará o que acontece com a origem sintomática. Como reflexologia podal, reflexologia palmar ou auriculoterapia, a íris imprime todo esse conhecimento, pois já foram utilizadas na antiga mesopotâmia e principalmente pelos médicos caldeus e arcadianos.



O trabalho científico da iridologia, estabelecendo a relação entre o mecanismo orgânico do corpo e as manifestações em áreas reflexas na íris, baseia-se no mesmo princípio de operação que todas as técnicas reflexogênicas.(a energia vital do sistema parassimpático e simpático).



A íris, portanto, reflete todo o corpo através notável vascularização da íris e sua impressionante inervação (mais de 500 000 terminações nervosas) para entender como a informação pode ser transmitida entre o microssistema que representa o olho e a corpo, foi estudada as correlações entre sintomas e fenômenos em determinadas áreas da íris sendo aperfeiçoados os mapas e gráficos de observação ao longo de vários séculos por cientistas iridologistas respeitados por sua conduta moral e formação científica.



Toda a informação do nervo (nervo óptico) que faz parte da estrutura ciliar do sistema nervoso central, o sangue sendo responsável pela rica vascularizada sistêmica hidráulica e energética (vários meridianos atingem a pupila do olho) voltando ao cérebro levando impulsos elétricos que marcam a íris em forma de pigmentação.



Os índices gerais e a topografia da Íri...



Existem estudos interessantes baseados em pesquisas de campo sobre vitalidade, estado febril e toxemia (quantidade e qualidade de toxinas), permeabilidade emética (estado dos órgãos purificadores), impacto da hereditariedade (herança ancestral baseadas nas linhas das áreas concêntricas no mapa da íris), estado de equilíbrio do sistema nervoso (baseado no formato da pupila e linha do colarete), mineralização (por meio do halo oxidativo e anel de assimilação).



A íris nos diz como cada órgão se conecta com outro e como um órgão intoxicado pode afetar outro através de uma ação reflexa envolvendo o sistema nervoso simpático ou parassimpático. Graças à iridologia, é possível perceber que o corpo não está dividido em segmentos e que nenhum órgão é separado do resto do corpo.



Mas a precisão da máquina humana vai ainda mais longe: cada perturbação está localizado em um ponto específico do corpo e representado em áreas reflexas da íris (através do mapa da íris com o total de 83 áreas reflexas atualmente) Assim, os iridologistas podem desenhar nas áreas reflexas do mapa da íris, os fenômenos reais visualizados na íris porque, nas suas superfícies, por reflexo nervoso, projetam em uma ordem precisa todas as partes do corpo constantemente, órgãos e sistemas grandes : nervoso, digestivo, hormonal, cardiovascular, respiratório, uro-genital.



Existem tantos mapas baseados nas escolas iridológicas de vários países nos quais a iridologia é praticada; do mais simples ao mais elaborado. A experiência mostra que não devemos nos limitar a uma única cartografia ou mapas, mas várias e trabalhar com a pessoa que nos dará no momento da anamnese com a pessoa, satisfação completa de ser atendida por um profissional que demonstra interesse em buscar a solução dos problemas de saúde do paciente.



A íris, uma mina de informação!



A íris contém o nosso código genético e, portanto, reflete as condições normais, anormais e hereditárias de nossas fraquezas genéticas, que podem se desenvolver ao longo dos anos seguindo as principais tendências patológicas. Em outras palavras, a iridologia pode detectar sinais de alerta precoce por muitos anos "de antemão", a aparência de disfunção latente sem manifestação de sintomas.



A iridologia nos dá os elementos necessários e suficientes para garantir a prevenção no sentido mais nobre do termo. A iridologia é uma ferramenta preventiva que tem todo o seu valor hoje, num momento em que há hesitação em todos os primórdios da medicina de detecção.



Uma ferramenta imprescindível para o profissional de saúde!



A iridologia, pela semiologia dos iridologistas irlandeses, dá tendências em longo prazo a uma pessoa que nasce com um fenômeno iridiano genotípico no aparecimento sintomático. As íris não mudam. A íris é um tecido e, portanto, há apenas envelhecimento dos tecidos e apenas desgastes no movimento peristáltico da pupila. Avaliações dessas funções pupilares não são invasivas, (o qual pode ser integrado com a medicina convencional e complementar) oferece a possibilidade de agir antes do processo de doença se torne irreversível.



Para o iridologista experiente, a iridologia revela muito mais sobre o corpo e mente, é um bom complemento para outros métodos de investigação. É uma ferramenta valiosa que ajusta os protocolos higiênico-dietéticos e corretivos preventivos e as terapias de acompanhamento não drogas do paciente.



Na verdade, um dos principais problemas da medicina hoje é detectar uma doença antes de se manifestar. Detectar distúrbios funcionais, antes de estarem lá, e mesmo antes que possamos ver com os mais modernos clássicos, são verdadeiras patologias. Esta técnica revela mais particularmente a qualidade dos tecidos (nos dá uma descrição do estado dos tecidos) e, conseqüentemente, serve para determinar tendências gerais e não permite em nenhum caso fazer um diagnóstico de doença.



O QUE É IRIDOLOGIA?



A Iridologia é uma ciência de diagnóstico que se fundamenta no princípio de que cada órgão do corpo humano tem uma área reflexa representativa na íris, onde os órgãos refletem constantemente seu estado de saúde ou enfermidade.



UM POUCO DE HISTÓRIA...



A iridologia é uma prática antiga que estuda e analisa as estruturas delicadas da parte colorida do olho, chamada íris. O registro mais antigo sobre a iridologia foi o descobrimento de uma pedra de roseta datada de oito a treze mil anos a.C. encontrada na Mesopotâmia.



A Íris na Antiguidade...



Em todos os povos antigos a íris é reverenciada como um caminho para o conhecimento interior do homem. Tanto na China, Egito, Grécia e Tibete, as mudanças percebidas nas estruturas dos olhos eram relacionadas com anomalias ou alterações internas do organismo.



No continente europeu; Philipus Meyens foi o primeiro a publicar algo sobre iridologia. Em 1670 em Dresden - Alemanha lançou seu livro que fazia um interessante estudo sobre fenômenos iridológicos e suas relações com determinadas doenças, apresentando um pequeno mapa da íris com áreas representativas de alguns órgãos do corpo humano.



Décadas depois foi a vez de Johann Sigmund Eltzholtz (Nürnberg, 1695) se aprofundar mais no estudo de Meyens. Quase um século mais tarde, em Göttingen, Christian Haertls , baseado nos estudos de Meyens e Eltzholtz, lança um polêmico e importante trabalho na área. Mas foi com o médico húngaro Ignatz von Peczely que em 1822 à 1911 a iridologia foi estudada e pesquisada nos moldes científicos na medicina em Dresden. A partir desta data a Iridologia começa a ficar conhecida internacionalmente.



Ignats Von Peczley, húngaro, nascido em Egevar, quando era criança quebrou acidentalmente a perna de seu animal de estimação, uma coruja, Von Peczley enfaixou a perna e percebeu que, na íris da coruja referente ao lado da perna que foi fraturada, um sinal na íris da ave às 06 horas no sentido horário de coloração esbranquiçada naquele ponto da íris do pássaro. Ignatz von Peczelly cuidou do pássaro até que ele se restabelecesse e restituiu-lhe a liberdade ao seu animal de estimação; a Coruja.


MAPA DA ÍRIS DESENVOLVIDO POR PECZELY




Em Londres, em 1959, a Academia de Ciências premiou o cientista R.Schnabel por seu trabalho de dois volumes sobre a Iridologia.

 

Na antiga União Soviética, e o Velchofer Romasof, a parte da Faculdade de Medicina da Universidade de Amizade dos Povos II. Lumumba começou laboratório iridologia em 1967. Mais tarde, o imitaram o V.Krivenko em Kiev e outros cientistas em outras cidades.

  

Na Grécia, único país que possui órgão oficial do governo que fornece ao iridologista um diploma reconhecidos na Grécia em mais duas comunidades internacionais que os interessados podem entrar em contato para filiações.

 

A Congregação de iridologia da Grécia e da Associação Grega Medical de Iridologia em cooperação com a Universidade de Povos e Amizade de Moscow para o reconhecimento que os documentos de formatura que obteve em evento oficial ou escola devidamente instituída em qualquer país candidato será reconhecido como um doutor em iridologia (é um doutor).

 

A realidade científica é que; a íris não muda, a ponto de ser considerada pela Rússia uma prova de identidade mais confiável do que as impressões digitais. Na maioria das vezes as conclusões da iridologia sobre os fundamentos genotípicos são tidas como decisão arbitrária "padrões" ( padrões não mutáveis) que não se alteram com aplicações terapêuticas são puramente dependentes da predisposição genética para a confirmação de suas próprias investigações.

 

A ausência de liberdade pública das pesquisas científicas iridológicas faz com que todas as conclusões corretas da iridologia sejam completamente necessárias para o reconhecimento acadêmico internacional de todos os países do mundo.

 

O que é a íris no globo ocular?


A íris é o componente mais anterior do trato uveal. Forma o diafragma pupilar, que controla a quantidade de luz que entra no olho e separa o espaço preenchido com água nas câmaras anterior e posterior.

 

EVOLUÇÃO DOS MAPAS DA ÍRIS







SOBRE A IRIDOLOGIA NA MÍDIA DO BRASIL



SEJA IRIDOLOGISTA PROFISSIONAL!


A Ocupação Profissional do Iridologista
A iridologia como método científico de conhecimento humano não se enquadra nos Artigos; 171, 282, 283, 384, 299 do Titulo VIII Cap. III do Código Penal Brasileiro.
O Ato de trabalhar como Iridólogo ou Iridologista está classificado como Ocupação de Forma Livre baseada na Constituição Brasileira Art. 5, XIII - (cap. 13).

 Realização:

Profº  Manassés R. de Almeida CRI-DF 2101

CBO - 3221-25

UNI- Centro de Formação Profissional em Iridologia - Brasília - DF 

UNIÃO NACIONAL DOS IRIDÓLOGOS – BRASIL